terça-feira, 24 de abril de 2007

Farol...



Sempre fui e confesso que ainda sou, um apaixonado por faróis, apesar de serem um enorme cilindro em betão com dois holofotes no topo, acho que são magníficos.
Pois a sua missão é algo fantástica, guiar e alertar os barcos sobre a proximidade de terra... E se virmos bem, nem mesmo com a criação e aperfeiçoamento do G.P.S., levou a uma inutilização do farol.

Na verdade, aquilo que me fascina no farol é a sua simplicidade na construção, a beleza da sua missão, a sua persistência na execução da missão, a resistência face às tempestades e às novidades, etc.

Quando olho para um farol, recordo sempre que também eu devia ser assim:
- Uma luz que possa ajudar os que estão à minha volta;
- Ser humilde;
- Ser simples;
- Ser forte;

Mas bem sei, que tantas vezes, isto não passa de ilusão, pois o que acabo por ser é orgulhoso, vaidoso, fraco... E no final como acontece com os G.P.S., quando queremos uma rota e não funciona, e então pensamos «Não serves para nada!», deve ser isso que os que estão à minha volta, pensam...

Porém, aquele barco que se guiou pela luz daquele farol, encontrou um porto seguro, onde se abrigou e aguardou que a tempestade passe...
É quando penso em tudo isto, que sinto dentro de mim, uma crescente de perguntas, para as quais não tenho qualquer resposta...

- Quantos "barcos" conduzi até um porto seguro?
- Quantas vezes, fui luz para alguém?
- Quantas vezes, deixei que brilhasse Aquela Luz?
- Quantas vezes, fui eu sinal de esperança para aqueles que me pediram auxílio?
- Quantas vezes?

E percebo no vazio em que caio... Pois dentro de mim, não existe aquela luz igual a de um farol, mas sim, uma pequena chama...

E tu?
Que luz brilha dentro de ti?
É a luz de um farol? Ou de a luz de uma lamparina?

Uma braçada amiga

4 comentários:

Sandra disse...

:))

ó gajito preto e branco

axas ké importante sabermos essas respostas?? sabermos q tipo de luz somos?? eu n axo, para mim o importante é estarmos acesos (vivos), embora sejam questões q já me colokei, um dia, mas como as respostas tinham q ser dadas por mim, deixei de mas fazer :)))

"a vida é um interruptor", logo somos luz :))

xinhuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuus pa tu da lua

Pinguim Alegre disse...

Olá "olho verde e branco"!

Acho que é importante sabermos essas respostas, porque dessa forma saberemos se estamos acesos ou não!
Lolada

Bjs grandes Sandra

Sandra disse...

:)))

ó sô pinguim, a genti pa saber se temos luz só precisa agir de consciencia tranquila :))essa do termos q nos fazer preguntas pa saber se tamos acesos é outro assunto sexual :)))))))))))))))))

beijokas gandes aussi pa tu da lua

nb - AVISU: só o olho é esberdeado e branco okis?? o resto é tudo azuli e assim :)))) corre me nas beias sangue real e dinamarquês...ihihihihihi

ncampos disse...

Que curioso... sempre adorei farois... Fiz até um trabalho (alto-relevo) em Oficina de Artes que tinha um farol. A memória descritiva falava de quase todos os pontos que mencionas: a luz, o caminho, as pessoas, o porto seguro, até a própria solidão que o farol nos remete (para quem trabalha num farol não é fácil) e a missão de guiar, de orientar é de louvar... Acho que às vezes me sinto farol... e durante a minha existencia acho que guiei algumas pessoas a portos muito mais seguros (modéstia à parte), a luz continua acesa e a solidão de "faroleiro"... permanece sem mágoa:)

"Podemos converter alguém pelo que fazemos nunca pelo que escrevemos."

H.P.