terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Eco da voz

Sinto-te
e não te toco.
Agarro-te
e não te prendo.
Olho-te
e não te vejo.
Abraço-te
e não te envolvo.
Escrevo-te
e não te digo.
Falo-te
e não te escuto.
Desejo-te
e não te tenho.
Quero-te
e não te possuo.
Observo-te
e não te chamo.

Uma braçada amiga

8 comentários:

neu_zita disse...

Que texto bonito :)

Fa menor disse...

Quando contradições fazem parte da nossa vida... temos que aprender a viver com elas... a não lhe dar importância...

multiolhares disse...

è no ser e não ser
no ter e não ter
na dualidade da vida
que se encontra o equilibrio

***
luna

joaquim disse...

Lindo texto!
Completar-se-ia com:
Entrego-me a ti
e finalmente
tu te entregas a mim...

Perdoa a intromissão no teu texto.

Santo Natal para ti e todos os teus.

Abraço em Cristo

Pinguim Alegre disse...

Querida neu_zita,

Ainda bem que gostaste!

Bjs

Pinguim Alegre disse...

Querida fá menor,

é uma grande verdade. É preciso saber viver com isso.

Bjs

Pinguim Alegre disse...

Carissima Luna,

Bem vinda a este espaço.
Gostei do teu complemento!

Bjs

Pinguim Alegre disse...

Carissimo joaquim,

Não tens que pedir desculpa pela intromissão. Se existe este espaço é para que todos possam completar o que falta ao texto.

Um grande abraço

"Podemos converter alguém pelo que fazemos nunca pelo que escrevemos."

H.P.