quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

"de que servem as palavras se a casa está deserta..."



Hoje,
Sentado neste puff,
Debito estas palavras,
Que me saem do coração.
Palavras soltas e sem sentido...
Mas também,
O que tem feito sentido nestes últimos tempos?
O que faz sentido numa vida que se esvaziou de sentido?
O que importa numa vida que já perdeu importância?
Nada!
Porque em mim existe apenas um enorme VAZIO.
Que em acompanha todos os dias, todas as horas.
Um vazio...
... de sentido!
... de sentimento!
... de justiça!
... de partilha!
... de gestos!
... de sonhos!
... de tudo!

Hoje,
Sinto a dor de cada minuto que passa,
Sinto a falta de cada gesto,
Sinto a falta de algo que me prenda,
Sinto a falta de aromas,
Sinto a falta de uma mão que me acaricie o rosto,
Sinto a falta de te ver «homenzinho» pequeno
Sinto a falta de um porto de abrigo
Sinto a falta daquilo que tenho e do que não tenho
Mas acima de tudo...
Sinto a falta do meu EU...

Que se mistura e se perde na imensidão deste Vazio...

Uma braçada amiga

6 comentários:

letaboboleta disse...

pois, ha momentos, onde nos sentimos assim....vazios e pincipalmente perdidos....mas ha sempre quem nos ajude a encontrar-ns!!!
jinhos
****letinha****

Gente comum disse...

Este texto faz-me pensar nas estações do ano, na passagem do Inverno à Primavera... quando as árvores despidas, vazias, voltam a florir.
Tenho a certeza que vai acontecer o mesmo contigo, com o teu coração.
Um beijo grande!

Aninhas

O Sobrinho disse...

Ouve tou com medo do poder do Chefe, o Altíssimo!

Já a outra dizia que não há coincidências! Lê o meu texto que vai sair este fim de semana no Eklesia e que escrevi na 2ªf!

Abraços...

Pinguim Alegre disse...

Carissima letaboboleta,

existem de verdades essas pessoas... São a maior riqueza que podemos ter... Os amigos!

Bjs grandes

Pinguim Alegre disse...

Querida gente comum,

"é preciso morrer e nascer de novo..."

Eu tb acredito que um dia hei-de nascer de novo...

Um dia...

beijos grandes

Pinguim Alegre disse...

Carissimo sobrinho,

estarei atento.

Um abraço

"Podemos converter alguém pelo que fazemos nunca pelo que escrevemos."

H.P.