quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

A carta que eu nunca escrevi...

É verdade!
Eu nunca escrevi uma carta ao Pai Natal...
Mas acho que ainda vou a tempo de viver este sonho, de escrever a um homem que carrega em si mesmo a maior máxima, a de que sejamos felizes, na hora de dar...


Não lhe direi, que me portei bem ou mal, porque houve momentos de ambos...
Não lhe vou pedir uma longa lista, porque algumas prendas já me foram oferecidas...


Vou-lhe pedir uma.


Apenas e só uma!
Não, não será daquelas de paz para o Mundo, de amor, etc... Porque isso é o desejo de todos os seres humanos com valores.



Mas hoje, quero-te pedir uma coisa, só uma...



Pode ser Pai Natal?

Uma braçada amiga

2 comentários:

Gente comum disse...

huuummmm... já estou a ver qual o uso que vai ter :)!
Se precisares de ajuda...
Beijo grande,

Ana

Pinguim Alegre disse...

Querida Gente Comum,

espero que estejas a ver bem! :)

porque quero perpetuar esse momento único numa foto!

:)

Bj

"Podemos converter alguém pelo que fazemos nunca pelo que escrevemos."

H.P.