terça-feira, 8 de setembro de 2009

Quanto tempo mais?

Ao fim de algum tempo percebes:

que o que custa mais não é a ausência do outro mas a ausência de ti mesmo;
que o que não passa não é o tempo mas o pensamento;
que o que não se preenche não são os dias mas a cabeça;
que o que nos separa não são os quilómetros mas são as vontades;
que o que te magoa não são as palavras mas os momentos;
que o que angustia não são os sentidos mas o sentir;
que o que nos mata não são os outros mas nós próprios;
que os ciúmes não são inseguranças mas medos;
que a confiança não se sente mas demonstra-se;
que o egoísmo não é querer à nossa maneira mas respeitar a maneira dos outros;
que os sonhos não são concretizações;
que os planos não são promessa;
que a vida é o ontem que hoje espera o amanhã.
que amar é viver a angústia ciumenta, egoísta e insegura de não te sentir...
que por mais tempo que passes, os sentimentos crescem...
E que no fim de algum tempo as lágrimas serão a alegria do regresso.

Um abraço

4 comentários:

Fénix disse...

Os teus textos...perco-me a ler...
=P

Kisses*
Fénix*

Rafeiro Perfumado disse...

Essa de quem nos mata sermos nós próprios só em caso de suicídio, jove...

Pinguim Alegre disse...

Carissima Fénix,

obrigado! :)

Bjs

Pinguim Alegre disse...

Carissimo Rafeiro,

Jacob, parte II?

Queres discutir sobre isso?

:)

Um abraço

"Podemos converter alguém pelo que fazemos nunca pelo que escrevemos."

H.P.