sexta-feira, 24 de novembro de 2006

Uma simples folha de papel...


Hoje, quando páro e olho à minha volta, tenho saudades de algumas coisas, que não desapareceram, apenas se "adaptaram" a uma nova realidade que é o séc. XXI.
Recordo, quando "partilhava" numa simples folha de papel, tudo aquilo que sentia, que sonhava, que tinha receio. Era com essa simples folha que partilhava a minha pobre vida.
Reparei muitas vezes, que à medida que ela (folha de papel) ficava mais cheia, mais o meu íntimo ficava vazio, era o chamado efeito «ampulheta»!
Porém, hoje escrevo neste blog, pois foi nisso que aquela simples folha de papel se transformou, num blog...
Quem não se recorda de escrever carta de amores, de enviar bilhetes à pessoa amada com recados, com mensagem própria dos enamorados... Era nesses momentos, que aquela simples folha de papel "carregava" em si o peso do sentimento "que arde sem se ver", porém ali, ele era bem visível...
E quem não se recorda da ansiedade e da alegria que sentiamos ao receber uma outra simples folha de papel com o feedback...
Hoje, enviamos um e-mail, uma sms...
É mais impessoal e tem uma vantagem que a carta ou o bilhete não tem... se recebermos uma resposta torta ou indesejada, podemos sempre dizer que foi enviado por engano...
Lanço-te um desafio...
Escreve numa simples folha de papel, tudo aquilo que te apetece, que sentes, que ambicionas,etc. Porém aviso-te que podes correr um risco... que é de um momento para o outro, sentires que aquela simples folha de papel, fala contigo, que te dá respostas, que se tornou na tua melhor amiga... Mas, lembra-te é uma simples folha de papel, nada mais!
Uma braçada amiga.

4 comentários:

nMAC disse...

Estava eu a ver o que o "rapaz sem nome" escrevia, quando me deparo com um certo pinguim que me é familiar... :)

Há uns dias atrás, partilhas-te novamente, com uma folha de papel à frente, "aquilo que sentias, que sonhavas, que tinhas receio". No entanto, devo dizer-te que esse efeito "ampulheta" que saíu de ti, me encheu por dentro...

Como à tua imagem, o blog é muito bom. Vou-te linkar, a "gastar" o meu tempo a lê-lo!

Abração do N. "loiro"!

Pinguim Alegre disse...

Amigo Nuno, espero que passes mais tempo aqui, e que partilhes as tuas opinioes comigo para assim podermos crescer.

Um forte abraço

Rafeiro Perfumado disse...

Eu tb escrevi o melhor poema do mundo numa folha de papel. Infelizmente estava no WC...

Rafeiro Perfumado disse...

Pela segunda e última vez este ano, fui desafiado para uma cena qualquer. Quis partilhar a minha imensa alegria contigo e como tal decidi passar-te o testemunho. Vai agora, e espalha a palavra do Rafeiro pela blogosfera!

PS: este texto não é só para ti. Vou fazer o belo do COPY-PASTE para os outros desafiados ou não me deitava hoje...

Um grande RAUF para ti!

"Podemos converter alguém pelo que fazemos nunca pelo que escrevemos."

H.P.