quinta-feira, 28 de dezembro de 2006

Este lume que arde...



Faz frio esta noite, aproveito e acendo a minha lareira...

Inicia-se com uma pequena chama, que aos poucos começa a consumir a pinha e os pequenos ramos, até que se torna numa enorme chama e começa abraçar os troncos maiores...

Aos poucos a minha pequena chama já produz uma enorme luz e um agradável calor... Começo a ouvir aqueles estalitos da madeira, que aos poucos vai sendo consumida pela chama...

Faz frio esta noite, mas esta lareira produz luz e calor capazes deme prender aqui... Olho para aquela chma que parece ter vontade própria e um desejo especial em consumir tudo o que se coloca no seu caminho, neste caso, aqueles troncos, e ela vai conseguir, demore o tempo que demorar...

Passa 1,2,3 horas e a minha lareira, agora é um simples monte de brasas. Afasto uma brasa do todo e aos poucos, esta vai-se apagando... Mas se a junto de novo às outras, volta a reacender-se e a produzir calor... E ao ver esta brasa, penso: "Eis o verdadeiro significado do lema «A união faz a força», pois aquelas brasas juntas conseguem manter-se acesas e produzir calor, mas afastadas apagam-se...

Quantas vezes...

Quantas vezes, me afastei eu?!?....

Quantas vezes por orgulho, decidi ser uma brasa sozinha?!?...

Quantas vezes, sabia que o caminho era com os outros e me afastei, por não ser feito do meu jeito?!?...

Quantas vezes, fui eu uma acendalha?!?...

Quantas vezes, fui um simples tronco consumido lentamente por esta chama e depois me tornei numa brasa!?!?...

Quantas vezes..."

Uma braçada amiga

2 comentários:

Sandra disse...

Olá

Quantas vezes também eu me afastei, pensando que era o melhor caminho;
Quantas vezes também eu, quis ser uma brasa isolada;
Mas de facto, não somos nada sozinhos;
Só unidos, sentiremos a força do amor, da Paz, da amizade.

Beijinhos,
Sandra

Pinguim Alegre disse...

Olá Sandra, agora só falta passarmos das palavras à acção... e isso é um enorme passo...


Uma braçada amiga

"Podemos converter alguém pelo que fazemos nunca pelo que escrevemos."

H.P.