domingo, 27 de abril de 2008

"aqui TUDO é mais forte "


Confesso que me assusta, quando paro e penso na minha vida...
E assusto-me porque hoje tenho a consciência que tudo nela é passageiro e efémero.
Apesar de algumas dessas coisas terem sido grandes sonhos ou até mesmo grandes desafios... Existiram momentos mágicos e momentos tristes...
Rasgos de dor e de felicidade...
Mas todos, todos eles passaram, e não voltaram acontecer. Pelo menos com os mesmos protagonistas e naquele espaço...
Hoje sei que na história da minha vida, cada momento, cada decisão, cada uma das coisas que me aconteceram tiveram que acontecer naquele momento...
E mesmo quando sinto saudades de alguém ou de algum momento, isso é apenas um sinal que esse alguém/momento foi marcante e muito especial...
Mas não vai voltar acontecer.
Porquê?
Porque já passou...
E a nossa vida é isso mesmo, a congregação desses momentos todos, mas que já não voltam, por muito que se possa querer ou desejar...
E compreender isto, não é uma questão de medo, nem se quer se trata de uma questão de orgulho. Trata-se apenas de compreender e aceitar que a vida não te dá a possibilidade de voltar atrás e reescrever o que pensámos que ficou incompleto.
Não!
No livro da nossa vida, cada momento tem um início e um fim.
Cada momento é único e irrepetível, por muito que não se concorde... Por muito que nos possa doer esta realidade... Apenas existe uma certeza...

“Tudo passa...”

E no dia em que percebermos isso, as nossas vidas deixaram de ser povoadas e recheadas por “ses”; “talvezes”; “mas”; etc.
E no seu lugar existirá apenas SIM ou NÃO! Porque estas são as respostas que definem aquilo que estamos dispostos a viver sem condições, sem regras, sem lógica. Numa entrega total e desmedida...
E se doer?
Se doer é porque a nossa entrega foi total e verdadeira a esse momento ou a esse alguém...
Mas irá passar...

Porque afinal TUDO PASSA!

Uma braçada amiga

15 comentários:

Anónimo disse...

Tudo passa! Mas o que importa é o que irás fazer com esses momentos que passaram e te transformaram. É que tudo passa, mas tudo fica...

Francisca disse...

Amar até Doer? xD

Gata Verde disse...

Aproveita o momento...

Beijo

Letinha disse...

tudo passa mas fica tudo guardado nesse teu coraçaozinho....é se sofres ou sentes saudades de algo e pk realmente amas-te....se nao sofresses e k era de estranhar....

leta

Fa menor disse...

Esse "tudo passa" por vezes serve de consolo...
mas por vezes faz doer mais ainda, porque não se queria que passasse...
Há coisas que podem não se repetir, mas que podemos fazer perdurar. Que tiveram o seu início mas que fazemos para que não tenham um fim à vista.
Outras quereríamos que findassem mas esse fim não se vislumbra...

Saibamos recolher de cada momento tudo o que nos traz de bom, a sua magia.

Grande beijinho

Pinguim Alegre disse...

Carrissimo (a) anónimo,

esses momentos que falas ajudaram-te a crescer.
Ajudaram-te a tornares-te melhor pessoa. Porém, não foi a pessoa com quem viveste esses momentos que o fez, foste tu que achaste que era melhor mudares ou que te deixaste transformar... Porque ninguém muda pelo outro. Não isso é uma opção mto pessoal!

Uma braçada amiga

Pinguim Alegre disse...

Querida kika,

é bom ver-te por aqui!
O amor para ser verdadeiro tem de doer...

E essa frase é da Beata Teresa de Calcutá...
"AMAR ATÉ DOER!" :D

Um beijo enorme

Pinguim Alegre disse...

Querida gata verde,

acredita que vou vive-lo ao máximo!
Porque percebi que é de momentos que é feita a vida humana.

um beijo enorme!

Pinguim Alegre disse...

Querida letinha,

Concordo plenamente contigo. :D

Beijos

Pinguim Alegre disse...

Querida fá menor,

tudo na nossa vida passa, seja bom ou mau...
Pensa no cimo do monte Tabor "façamos 3 tendas..."
Esse momento passou...

Um beijoca grande

Anónimo disse...

Carissimo(a) Pinguim

Sou a anónima de 28 de Abril. Estás enganado quando dizes que o outro não te transformou e que foste tu que quiseste mudar! Ou, se assim foi/é, então, na realidade, não amaste. Repara: O que é AMAR? Amar é dar-se ao outro (e a definição não é minha!). Quando te dás, deixas de ser tua para ser de dele/a e vice-versa. E a tua vida, o teu ser mais íntimo é moldado (trasnsformado) por essa entregua mútua. Por isso, se pensares bem, penso que chegarás à conclusão que isso do outro nada ter a ver com a tua transformação é um "g'anda treta". Porque ninguém VIVE (e estamos a falar de Viver, plenamente a vida, e não sobreviver e olhar à nossa volta com uns óculos tão riscados que quase opacos!)sozinho; é uma necessidade primária e intrínseca ao Homem viver para o outro.
Já me estou a alongar.. mas há tanto para pensar e viver acerca do AMOR....
Pensa deste ponto de vista!... Não é?

Pinguim Alegre disse...

Carissima Anónima,

gostei de ler com aquilo que escreveste, contudo já deu para perceber que temos pontos de vista bem diferentes.
E ainda bem! :)
Mas não se trata de ser uma "g'anda treta" é antes teres a noção que o outro tem influência na tua pessoa, mas o outro não muda tudo em ti.
E por maior que possa ser esse amor, ele não irá nunca conseguir mudar tudo aquilo que tu és.
Porque entregar-se alguém é acima de tudo uma decisão muito pessoal e só depois partilhada...
E como tal qualquer mudança, qualquer gesto, qualquer palavra é gerada sempre no seio do individuo e só depois partilhada...
Senão vejamos: porque queremos sempre que o outro faça daquele jeito? E não o deixamos fazer do jeito dele?
Porque lhe exigimos que mude? Porque não o deixamos ser como ele é?
Porque numa relação (com imenso AMOR ou não) existe sempre primeiro o individuo e só depois o casal... Sempre!
é o meu ponto de vista, mas respeito e aceito o teu.

Beijos DO pinguim

Anónimo disse...

Caríssimo Pinguim,

"Vamo-lá a ver se nos entendemos!". Não me parece mesmo nada que tenhamos pontos de vista diferentes. Não quero parecer presunçosa, mas acho apenas que existe aí uma dor que não te deixa ver a Realidade como ela é e que, no fundo tu concordas comigo, senão, o que escreves não faz sentido: "...SIM ou NÃO! Porque estas são as respostas que definem aquilo que estamos dispostos a viver sem condições,(...). Numa entrega total e desmedida...
E se doer?
Se doer é porque a nossa entrega foi total e verdadeira...".
Na realidade, não é o outro que te muda, és tu que, ao dares-te, dizes sim ao poder que o vosso amor tem e vos transforma. O Amor não é um contrato ou acordo entre duas pessoas; uma relação verdadeiramente amorosa não é um "toma lá, dá cá", é antes uma entrega voluntária de um ao outro e é "esse fluído", esse amor que transforma um e outro.
É claro que existe uma decisão pessoal e só tua de dizeres SIM ou NÃO, tu escolhes se queres ou não dares-te ao outro, mas a partir do momento em que te dás, já não és teu! (ou então não te deste, porque ninguém dá o que não tem! Se tu vires um homem sem roupa e tu também estiveres nú, não lhe podes dar as calças nem a camisa! Não tens como!).
E porque é que havemos de exigir ou querer exigir que o outro mude? Porque não havemos de querer que ele seja como é? É que, se este dar-se for mútuo, havemos de querer sempre que ele seja como é; até porque o Amor nos vai transformando aos dois e ambos caminharemos para um mesmo ponto de convergência...

Querido Pinguim, é claro que isto é muito fácil de pensar... o "busílis" está em conseguir passar à prática, não é?! Mas, quer dizer, se não começar-mos a enfiar isto na mona, nunca conseguiremos pôr em prática o único AMOR VERDADEIRO!

Um abraço forte

Pinguim Alegre disse...

Carissima Anónima,

depois de ler tudo o que escreveste, apenas vou dizer uma coisa, ou melhor, vou transcrever uma coisa:
"Na realidade, não é o outro que te muda, és tu que, ao dares-te, (...) É claro que existe uma decisão pessoal e só tua de dizeres SIM ou NÃO, tu escolhes se queres ou não dares-te ao outro"

Ambos sabemos que no Amor não existe limites, regras...
Existem dois seres com personalidades, com gostos e desejos...
Existem dois individuos... que estão dispostos a viver aventura do amor...

Mas acima de tudo é o Eu de cada um que decide se muda ou não, se se dá ou não... É só o EU, que acha que deve abdicar ou não... Mais nada nem niguem.

Porque o Mundo, a sociedade, os amigos, os namorados, etc... Vivem de individuos. E disso ninguem se pode esquecer.

Um beijo grande

Anónimo disse...

Meu Caríssimo Pinguim,

Pronto, está bem, leva lá a bicicleta.....

Mas não posso deixar de te dizer que o AMOR NÃO É uma aventura. O AMOR é.... deixa-me tentar explicar.... uma aventura não contém nada em sí mesma, tem um princípio, um meio e um fim. o AMOR NÂO! Ele tem um princípio e até pode ter um fim, mas não é vazio. O AMOR é... vamos dizer um fluído; ele é o teu suor, as tuas lágrimas e toda a tua entrega, mas também todo o suor, todas as lágrimas e toda a entrega do outro. Assim, ele deixa de ser uma vontade tua, ou do outro, para ser uma só matéria que nasceu dos dois ("Osso do meu osso, carne da minha carne")E essa matéria faz maravilhas!

Um grande abraço.

"Podemos converter alguém pelo que fazemos nunca pelo que escrevemos."

H.P.